Vitoria bate a 4ᵃ força de São Paulo (Corinthians), em plena Arena corinthians


Tem dia que nada dá certo. E esse dia chegou para o Corinthians. Neste sábado, diante do Vitória, no Itaquerão, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro, a equipe foi derrotada por 1 a 0 e perdeu uma invencibilidade de 34 partidas na temporada. O Corinthians não era derrotado havia cinco meses, desde 19 de março, quando caiu diante da Ferroviária, pelo Campeonato Paulista. São apenas  três derrotas no ano.

Mesmo com o tropeço, a equipe saiu de campo aplaudida pela torcida e mantém a liderança do Brasileiro com 47 pontos, oito a mais do que o Grêmio, segundo colocado. O Vitória, com 22, continua na zona do rebaixamento.

O Corinthians esteve longe de apresentar o bom futebol que levou a equipe à liderança isolada do Nacional e ao título simbólico do primeiro turno da competição, com a melhor campanha da história dos pontos corridos. Depois de duas semanas sem jogar por causa do adiamento da partida contra a Chapecoense, a equipe abusou dos erros de passes e da falta de criatividade para furar o bloqueio do adversário e acabou pagando caro por isso.

O Vitória foi para o Itaquerão com a clara proposta de apostar nos contra-ataques e a estratégia do técnico Vagner Mancini deu certo. Já o Corinthians, desorganizado na recomposição, foi pego de surpresa aos 11 minutos. Tréllez avançou com liberdade pela direita e bateu cruzado. A bola ainda desviou em Guilherme Arana e Cássio nada pôde fazer.



Após o gol, o Vitória recuou ainda mais a marcação. O Corinthians rodava a bola atrás de uma boa chance, na tentativa de encurralar o adversário, mas o máximo que a equipe conseguiu foram poucas oportunidades claras de gol, todas interceptadas pelo goleiro Fernando Miguel. 

Aos 30 minutos, o Corinthians até chegou a balançar a redes, mas Romero estava impedido após o desvio de Balbuena e o gol foi corretamente anulado. Apesar de ter mais posse de bola, a equipe errava passes decisivos na construção das jogadas. Para piorar, o Corinthians insistia exageradamente nas bolas levantadas na área e, assim, facilitava o trabalho da defesa do Vitória.

No intervalo, Guilherme Arana, com dores na coxa direita, foi substituído por Moisés. O Corinthians perdeu poder de fogo e força nas investidas pelo lado esquerdo do ataque. Aos quatro minutos, o time ainda foi beneficiado pela arbitragem. Kanu fez o segundo gol do Vitória, mas a arbitragem marcou impedimento de forma equivocada - Rodriguinho dava condição.

Sem criatividade, o Corinthians passou a pressionar o Vitória na base do desespero. O técnico Fábio Carille foi para o tudo ou nada com duas substituições: trocou Romero por Marquinhos Gabriel e Balbuena (machucado) por Jadson. As alterações, no entanto, não surtiram efeito.

O Corinthians continuou errando muitos passes e, quando conseguia finalizar, parava em Fernando Miguel. O Vitória se manteve muito bem na defesa e jogava nos contra-ataques. Nos minutos finais, bateu o desespero no Corinthians, que passou a jogar de forma desorganizada. Nem com seis minutos de acréscimos o placar foi alterado. Melhor para o Vitória.

Postar um comentário

0 Comentários