Como funcionará o árbitro de vídeo no futebol brasileiro?


Foi assim, de uma hora para outra. Depois de toda a polêmica envolvendo o gol irregular do atacante Jô no duelo entre Corinthians e Vasco, a CBF decidiu implementar o árbitro de vídeo já para a próxima rodada do Brasileirão 2017.


De acordo com o jornalista ​Rodrigo Mattos, serão basicamente quatro momentos em que o VAR (Video Assistant Referee) poderá ser utilizado:

– Lances de gol para ver se houve irregularidade em impedimento ou se a bola entrou. Não será possível voltar atrás se for marcado impedimento inexistente porque o lance para.

– Pênaltis para saber se houve, de fato, a falta na área.

– Cartões vermelhos para verificar se ocorreram agressões fora do lance não vistas pelo árbitro. 

– Identificação de jogadores em confrontos em massa em campo.

O principal problema no Brasil é a falta de treinamento dos árbitros com o sistema. Apenas quatro (isso mesmo, quatro) tiveram algum tipo de contato com o VAR - lembrando que cada rodada do Brasileirão possui dez jogos. A CBF garante que outros onze profissionais serão treinados de forma intensiva a partir de agora. 


Outro problema em relação a outros países: Conmebol e FIFA fecharam acordo com empresas especializadas para tocar o projeto na América do Sul e na Europa. No Brasil, a própria CBF tocará tudo, utilizando as imagens da Rede Globo, já que não houve tempo algum de preparo para a novidade. 

Deu no 90mim

Postar um comentário

0 Comentários