Safadão vai pagar pensão alimentícia de 40 salários mínimos ao filho Yhudy - Japi em Dia

Blog a serviço da População


Post Top Ad

Safadão vai pagar pensão alimentícia de 40 salários mínimos ao filho Yhudy

Compartilhar

O impasse entre Wesley Safadão e Mileide Mihaile terminou nesta sexta-feira (27) após a audiência de revisão de pensão do filho, Yhudy, que durou cerca de seis hora na 12ª Vara da Família do Fórum Clóvis Beviláqua. Segundo o "Diário do Nordeste", o forrozeiro terá que pagar 40 salários mínimos para o menino. Com isso, a ex do cantor vai receber mensalmente o valor de R$ 38 mil. A Justiça determinou também que o cantor deve, anualmente, ceder ao herdeiro e a empresária uma viagem internacional, em primeira classe, que inclui babá e dez salários mínimos para as despesas. Além de pagar a mensalidade e a matrícula do colégio do primogênito, a sentença prevê que o músico assuma as despesas do plano de saúde e o imposto de renda de Yhudy sem descontar estes itens do valor da pensão. E ainda definiu que Thyane Dantas, atual mulher de Wesley, por quem ele foi defendido, não busque a criança na escola.

Mileide avalia decisão da Justiça: 'Favorável para Yhudy'
Entrevistada pela TV Jangadeiro, filiada do SBT na região, Mileide se pronunciou após a audiência. "A decisão foi favorável para o Yhudy, que precisa de paz. Eu fiz isso por ele e com toda a a certeza o pai também. Não precisa ser favorável para mim, tem que ser favorável para o meu filho. Não é a meu favor, é o melhor para o Yudhy. Eu sempre estive satisfeita. Na verdade, a única coisa que me incomodou foi esse período, mas acredito que seja a bandeira que a gente precisa levantar, que é a de paz", falou.

Wesley comenta disputa com ex sobre pensão do filho
Dias antes da decisão da Justiça, Safadão desabafou na rede social. "Algo que me dói muito é ver que estou sendo julgado sobre esse assunto da minha vida particular mesmo sem eu ter me pronunciado. Em toda história que se conta existe os três lados: duas versões e a verdade. O tempo é o senhor das razões. Em 2012, com o fim da minha união estável, todas as minha obrigações foram definidas pela Justiça, inclusive a pensão. Em 2015, quando a minha vida graças a Deus começou a mudar, além do acordo da pensão, passei a oferecer um valor a mais, além de todos os outros pedidos. Quero deixar bem claro que não foram só dez salários mínimos. É muito difícil ver tudo isso que vem sendo publicado", lamentou o cearense, que desistiu de morar em São Paulo para ficar perto do filho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad

Pages