Blog a serviço da População


O fim da carreira de Michel Temer


Faltam apenas 4 meses para Michel Temer desocupar os Palácios do Planalto e do Jaburu.

E cuidar de, pela primeira vez em muitos anos, cuidar de uma vida sem mandato. E sem foro privilegiado.

Temer começou a carreira política como deputado Constituinte, mesmo não tendo sido eleito. Era suplente e assumiu.

Na eleição seguinte continuou ruim de voto e permaneceu na suplência.

Só na terceira tentativa se elegeu deputado federal com pouco mais de 70 mil votos, e de lá para cá não ficou mais sem mandato.

Deputado federal, eleito e reeleito presidente da Câmara, vice-presidente eleito e reeleito…e presidente da República repetindo o início da carreira, quando entrou como suplente.

A presidência foi mais ou menos isso, já que era vice e assumiu.

Veja algumas posições de Michel Temer como Constituinte:

Foi CONTRA:

Pena de morte

Estabilidade no emprego

Desapropriação de propriedade produtiva

Estatização do sistema financeiro

Jornada semanal de quarenta horas

Voto aos 16 anos

Reforma agrária

Monopólio na distribuição do petróleo

Foi FAVORÁVEL:

Legalização do aborto

Presidencialismo

Aposentadoria proporcional

Direito de greve

Mandato de cinco anos para o presidente José Sarney
*
Investigado por várias acusações na lava-jato, Michel Temer deixará o Governo no dia 31 de dezembro e começará o ano de 2019 esquecendo todo esse passado.

Vai ter que cuidar da defesa para não ser condenado e preso.

Deu no Blog Thaisa Galvão 

Postar um comentário

0 Comentários