Corinthians atrasa pagamento de empresa responsável pela limpeza


Na manhã desta quinta-feira, o departamento jurídico do Corinthians terá uma reunião com representantes do Siemaco-SP (Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Prestação de Serviços de Asseio e Conservação e Limpeza Urbana de São Paulo) por conta do atraso de um mês no pagamento do contrato com a Mgserv - empresa terceirizada que presta serviços de limpeza e copa no Parque São Jorge e também no CT Joaquim Grava. 

Os trabalhadores estão com seus salários atrasados e recorreram ao sindicato para intermediar o impasse. Parte dos vencimentos foi paga no início da semana e outra parte depositada na última quarta-feira. Mesmo assim, ainda há pendências no valor integral dos vencimentos, assim como o pagamento de benefícios como cesta básica e vale-refeição.

"Notificamos o Corinthians e teremos uma reunião no Parque São Jorge na quinta-feira. Entramos em contato com a empresa (Mgserv) e fomos informados que os trabalhadores não estão sendo pagos devido ao atraso no pagamento por parte do Corinthians", explica Júlio Francisco Rodrigues Júnior, advogado do Siemaco-SP e um dos responsáveis pela condução do caso.

Ainda de acordo com o representante do Sindicato, os atrasos nos pagamentos previstos no contrato com a Mgserv são recorrentes. Este é o terceiro mês que o clube não honra com seus compromissos na data prevista no acordo.

Procurado pela reportagem, o Corinthians confirmou o atraso de 30 dias no pagamento, mas não se posicionou sobre atrasos nos meses anteriores. O clube optou por não se pronunciar oficialmente sobre o caso. A empresa Mgserv Gestão Ambiental em Tecnologias Sustentáveis também foi procurada, mas não respondeu aos telefonemas.

Embora não seja o empregador dos funcionários da limpeza e copa que estão com seus salários atrasados, o Corinthians possui responsabilidade subsidiária e, por isso, está sendo notificado. Caso a situação não seja resolvida nos próximos dias, o Siemaco-SP - representante dos trabalhadores - pode buscar a mediação no Ministério do Trabalho.

Vale lembrar que nos últimos anos, o Corinthians se envolveu em algumas polêmicas. No ano passado, a Justiça bloqueou contas do Timão devido ao não pagamento de um acordo feito com a Refine Comercial - responsável pelo fornecimento de serviços de alimentação no clube. Também no ano passado, uma decisão de primeira instância determinou a penhora da Taça do Mundial de Clubes conquistada em 2012 por conta de uma dívida com o Instituto Santanense de Ensino.
*fonte: esporte.uol.

Postar um comentário

0 Comentários