Flamengo pode perder pontos no Brasileirão por conflito com CBF envolvendo Reinier


Mais um episódio no impasse entre Flamengo e CBF. A "briga" é para decidir se Reinier, jogador do clube carioca, convocado para disputar a Copa do Mundo Sub-17 pela seleção brasileira pode ser dispensado para atuar no Flamengo no Campeonato Brasileiro.

Caso o time utilize o atleta sem que ele se apresente a seleção, o clube pode perder pontos na tabela.

O Flamengo acionou o Superior Tribunal Justiça Desportiva (STJD) com uma Medida Inominada para ter o direito de escalar o meia-atacante Reinier pelo Brasileirão. Isso porque o atleta foi convocado, ainda em setembro, para disputar a Copa do Mundo Sub-17 pela Seleção Brasileira, mas o Flamengo não liberou o jogador.

A não liberação de Reinier para a disputa do Mundial criou atrito com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O Flamengo não quis liberar Reinier sob a justificativa de que necessita do jogador junto ao clube, pois já está com outros desfalques no time por conta de lesões, e não são poucos. É o caso de Diego Ribas, Berrío, Rafinha, Felipe Luís, Arrascaeta e Linconl. Além dos pendurados para o próximo o jogo, contra o Fortaleza, como Evérton Ribeiro e Bruno Henrique. O Flamengo ainda ressaltou que liberou, na última semana, Gabriel Barbosa e Rodrigo Caio, que participaram dos amistosos da seleção principal na última semana. 

Após bater o pé e dizer que não liberaria o atleta, Pedro Lucas, do Grêmio, foi convocado para a vaga de Reinier. No entanto, o Flamengo alega que no sistema da CBF o nome de Reinier não está liberado. Desta forma, o Flamengo solicita através de liminar que o STJD do Futebol determine a liberação de Reinier no sistema no período da convocação com o objetivo de que o clube não sofra nenhuma infração disciplinar pela escalação durante o período do Mundial Sub-17.

O clube ainda disse que a Copa do Mundo Sub-17 não é uma 'data fifa' e, por isso, não tem a obrigação de liberar o atleta. Após o acionamento na justiça desportiva, o presidente do STJD, Paulo César Salomão Filho, determinou que a CBF se pronuncie sobre o caso em até 24 horas. 
*fonte:folhavitoria

Postar um comentário

0 Comentários