Feiras livres de Natal voltam a funcionar com restrições a partir deste sábado


As feiras livres de Natal, que haviam sido suspensas semana passada seguindo recomendação do Ministério Público e decreto do Governo do Estado, como medida preventiva ao avanço do Coronavírus, voltam a funcionar, mas com restrições, a partir deste sábado (28).

As primeiras a voltar são as feiras do Alecrim, na zona Leste, e do Conjunto Santa Catarina, na zona Norte da cidade. No domingo, outras nove feiras estarão ativas: Cidade da Esperança, Felipe Camarão, Lagoa Seca, Gramoré, Mãe Luíza, Nova Natal, Nova República, Pirangi e Quintas.

A decisão da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur) foi tomada após reunião nessa quinta-feira (26), com o Ministério Público Estadual e comissões de “banqueiros” e feirantes. Na ocasião, ficou decidido o retorno das feiras livres, em caráter especial, seguindo regras específicas para evitar a proliferação do Coronavírus.

As novas medidas são: diminuição do número de bancas em cada feira, sendo permitido o máximo de duas bancas por feirante; o espaçamento de dois metros entre bancas, de forma a garantir a circulação sem aproximação entre os presentes; e a vedação da presença de comerciantes que se enquadram em situação de risco (idosos, gestantes, lactantes, diabéticos, etc…). Essas medidas passam a valer a partir deste sábado (28).

HISTÓRICO

As feiras livres foram suspensas provisoriamente, levando em consideração as orientações das entidades de saúde (Secretarias Estadual/Municipal, Ministério da Saúde e OMS), bem como o decreto publicado pelo governo do Estado com medidas a serem adotadas para garantir o achatamento da curva de transmissão do Covid-19. Além disso, segundo esclarece a Semsur, a decisão levou em consideração as recomendações do MPRN e decisão judicial proferida no dia 20 passado, que determinava a suspensão imediata das feiras livres dos bairros Alecrim e Santa Catarina.

De acordo com o titular da Semsur, Irapoã da Nóbrega, a paralisação dos serviços foi necessária nesse primeiro momento devido à necessidade de se estudar formas de garantir a organização compatibilizando com os cuidados à saúde. “Agora, com os feirantes, banqueiros e população bem mais conscientes de suas responsabilidades, poderemos voltar com a prestação do serviço. Mesmo assim, é preciso que a população tenha consciência. Ainda estamos em um período de epidemia e é preciso conter o avanço do Coronavírus”, destacou o secretário.
*fonte: BG

Postar um comentário

0 Comentários