Testes rápidos para detecção do coronavírus começam a ser aplicados nesta semana no RN, diz Sesap



O Rio Grande do Norte começa a realizar testes rápidos para a detecção do novo coronavírus, nesta semana, segundo confirmou o Secretaria Estadual de Saúde, Cipriano Maia. Mais de 7,7 mil kits foram enviados pelo Ministério da Saúde. A prioridade será para os profissionais de saúde e segurança pública que apresentem sintomas de gripe ou que foram apontados como suspeitos da Covid-19.

"Será usado para profissionais que atendam aos critérios de tempo de manifestação dos sintomas. Eles (os testes) vão começar a ser distribuídos nesta semana e a testagem pelos municípios também começa esta semana, em parceria com o estado", afirmou Cipriano.

Testes para Covid-19: entenda a situação no Brasil e tire dúvidas sobre os exames diagnósticos

Segundo a pasta, até esta quinta-feira (9), mais de mil profissionais da Saúde e da Segurança Pública encontravam-se afastados do trabalho por terem tido contato com infectados, suspeitos ou por terem apresentado sintomas de gripe. A primeira etapa de exames deverá testar oito mil profissionais.

"Com a testagem rápida será possível detectar quem está ou não infectado e assim adotar as medidas necessárias para preservar a saúde dos profissionais, suas famílias e da população em geral", diz a Secretaria de Saúde.

Testes rápidos


Segundo o Ministério da Saúde, esses testes utilizam amostras de sangue e o resultado pode ser verificado em até 20 minutos após a realização da testagem. Antes, apenas os testes moleculares estavam disponíveis e em quantidade insuficiente para atender à demanda.

Existem outros produtos no mercado que podem ser adquiridos por gestores públicos ou privados, desde que sejam cumpridos os critérios de registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e controle de qualidade do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz (INCQS).

É obrigatório aguardar 72 horas após o desaparecimento dos sintomas, antes da realização do teste rápido sorológico. Isto se deve porque existem evidências de redução importante da viremia, quando o vírus está agindo no organismo, após 72 horas do fim dos sintomas.

Essa medida permite que o grau de transmissibilidade seja reduzido, mesmo na eventualidade de um resultado falso-negativo.

Postar um comentário

0 Comentários