Petrobras não descarta novos leilões no RN, incluindo refinaria de Guamaré


Em reunião com a governadora Fátima Bezerra (PT), dirigentes da Petrobras não descartaram a possibilidade de novos leilões de ativos da estatal no Rio Grande do Norte. Além de campos terrestres, a refinaria Clara Camarão, instalada no polo de Guamaré, também pode fazer parte de um pacote futuro de desinvestimentos.O anúncio foi feito na última quinta-feira, 6, na sede da Petrobras, no Rio de Janeiro. 

Ao mesmo tempo em que afirmou não estar descartada a possibilidade de novos leilões, a equipe técnica da Petrobras afirmou à governadora Fátima Bezerra que vai manter investimentos no estado. “Mais uma vez, viemos tratar de temas fundamentais para o desenvolvimento do Rio Grande do Norte que são as áreas de petróleo e gás. Buscamos assegurar à permanência da Petrobras em solo potiguar, dada a importância desta cadeia produtiva para o nosso estado”, expressou a governadora, que esteve acompanhada do senador Jean Paul Prates e da presidente da Companhia Potiguar de Gás (POTIGÁS), Larissa Gentile.

 O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, também participou do encontro. O diretor executivo de exploração e produção, Carlos Alberto de Oliveira, destacou que a permanência da estatal no Rio Grande do Norte se dará especialmente em áreas profundas, mas que o “offshore permanece no radar da Petrobras”. “Afirmaram manter os ativos que hoje são responsabilidade da Petrobras e isto significa toda a produção terrestre e marítima, que incluem os campos de Canto do Amaro e Alto do Rodrigues”, explicou o senador Jean Paul Prates.

 Sobre os desinvestimentos, o presidente da empresa foi, segundo o senador Jean Paul, enfático ao falar que manterá a produtividade desses ativos inalterados ao longo do processo, caso venham ocorrer leilões destas áreas. A governadora reforçou o apoio do Governo do Estado para analisar estas alternativas com antecedência, no intuito de promover incentivos fiscais e mecanismos para a manutenção e ampliação dos investimentos nas áreas onde a Petrobras atua no estado.

 Ainda durante a reunião, Jean Paul Prates chamou atenção para a necessidade da manutenção do projeto-piloto de pesquisa e desenvolvimento, utilizando a plataforma de Ubarana, de geração de energia eólica offshore. “Eles ficaram fortemente impactados quando falamos sobre a importância de manter esta pesquisa que possui um baixo custo e alta perspectiva de sucesso. Também falaremos deste projeto na reunião de amanhã, com a empresa Equinor, que é parceira da Petrobras para o desenvolvimento da atividade de geração de energia eólica no mar”, ressaltou Prates. 

Também participaram da reunião a diretora executiva de refino e gás natural, Anelise Quintão Lara, o diretor executivo de relacionamento institucional, Roberto Ardenghy e o diretor executivo de exploração e produção, Carlos Alberto Pereira de Oliveira. Jornal de Fato.
*fonte: Guamaré em Dias 

Postar um comentário

0 Comentários